depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 10 bonus 15 slot bonus new member 100 rtp slot gacor hari ini daftar slot via dana situs judi bola resmi rtp slot live
SBOBET slot dana

Jornal Minuano – Aumenta número de óbitos entre a população não vacinada em Bagé

O aumento percentual no número de óbitos por Covid-19 de pessoas mais jovens, na faixa etária entre 20 e 59 anos e, um pouco menor, na faixa dos 60 aos 69 anos, contabilizados pelos Cartórios de Registro Civil de Bagé no mês de abril, o segundo pior desde o início da pandemia no município, são claros em apontar que a vacinação em massa de sua população é o melhor caminho para a crise de saúde pública causada pelo novo coronavírus.

Ainda aguardando o cronograma de vacinação para suas idades em Bagé, a população mais jovem viu crescer os números percentuais de óbitos no último mês, mesmo quando comparados a março deste ano, o mês que registrou o maior número de mortes causadas pelo novo coronavírus no Estado, e também em relação à média de mortes de sua faixa etária desde o início da pandemia.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (https://transparencia.registrocivil.org.br/inicio), base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), cruzados com os dados históricos do estudo Estatísticas do Registro Civil, promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base nos dados dos próprios cartórios brasileiros.

Em Bagé, a faixa etária que registrou o maior percentual de aumento em relação à média desde o início da pandemia foi a da população entre 20 e 29 anos, com aumento percentual de 100% nas mortes por Covid-19 em relação à média de mortes desta faixa etária desde o início da pandemia. A população de 40 e 49 anos também registrou crescimento, de 82%, no número de óbitos em abril na comparação com o período que vai de março de 2020 a março de 2021.

Na sequência, a faixa etária que vai dos 30 aos 39 anos viu o aumento do número de óbitos crescer 66% em relação à média para esta faixa etária desde o início da pandemia. Outra faixa etária que registrou crescimento foi a de pessoas entre 50 e 59 anos, com óbitos aumentando 80% em relação à média desde o começo da pandemia.

Ainda em crescimento, mas em patamares inferiores, a população entre 60 e 69 anos registrou aumento de mortes de 3% em relação à média desta idade no período, mas com uma diminuição de falecimentos, passando de 16 em março para 15 em abril. Nas demais faixas etárias, já vacinadas, o número de óbitos caiu em relação à média desde o início da pandemia, reduzindo 18% na faixa entre 70 e 79 anos, 15% entre 80 e 89 anos, e 64% na população entre 90 e 99 anos.

Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul foi o terceiro Estado do Brasil com maior crescimento percentual na faixa etária dos 20 aos 29 anos, registrando aumento de 101%, enquanto no país este crescimento foi de 38%. Já em relação à faixa etária dos 30 aos 39 anos, o Estado esteve abaixo da média nacional, com 39%, enquanto o brasil teve crescimento médio de 56% Já entre a população de 40 aos 49 anos, o RS ficou acima da média nacional, com um aumento de 94%, frente aos 57% do País. Esse aumento de óbitos acima da média nacional também foi registrado nas faixas de 50 a 59 anos e 60 a 69 anos, com 80% e 33%, respectivamente, enquanto o Brasil apontou crescimento de 54% e 22%.

Fonte: Jornal Minuano