depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 10 bonus 15 slot bonus new member 100 rtp slot gacor hari ini daftar slot via dana situs judi bola resmi rtp slot live
SBOBET slot dana

Após dois anos de espera, casais se preparam para dizer sim na retomada do Casamento Comunitário em Caxias

Em 2020, Edilaine da Silva de Jesus, 40 anos, e Lúcio Anderson Webber, 49, decidiram realizar um sonho alimentado durante as cerca de duas décadas em que estão juntos, o de oficializar e celebrar a própria união. O Casamento Comunitário de Caxias do Sul foi a opção encontrada pela prestadora de serviços estéticos e o metalúrgico, moradores do bairro São Victor Cohab, que não dispunham de condições financeiras para bancar uma cerimônia convencional. Assim como tantos eventos, a realização anual voltada para casais de baixa renda acabou sendo suspensa, em função da pandemia de covid-19. Medida que se repetiu em 2021. Neste ano, porém, a organização foi retomada e já conta com 54 casais inscritos. A realização de um sonho que, finalmente, passou a ter data, hora e local: 10 de dezembro, às 13h30min, na Vila Olímpica da UCS.

—  Esperei muito por este momento. A ideia era termos participado antes, ainda, mas eu estive doente e acabamos adiando. Agora estou melhor e, ao longo destes dois anos, foi um sonho que ficou adormecido, mas do qual não desistimos, porque nosso amor é muito forte — conta Edilaine.

Junto do noivo, ela participou, nesta semana, da primeira prova de roupas promovida pela organização do evento, na Associação de Moradores de Bairro (Amob) Jardim América.

— Eu sou bem daquelas que sonha com o vestido de noiva. Sempre quis casar, desde que nos conhecemos, e ele também. É um sentimento único. Foi muito lindo ver meu esposo de terno, me ver de vestido, saber que vamos oficializar nosso grande sonho. Eu agradeço a todos que estão colaborando — completou a noiva.

Mesmo para quem não viveu esta espera durante a pandemia, a data do casamento é motivo de grande expectativa. Para Natiele Marques da Silva, 25 — inscrita no evento comunitário para casar com Jeison de Melo Pereira, 39, com quem namora há seis anos — a mobilização iniciou há cerca de três meses, desde que a participação do casal foi confirmada:

— No dia que agendamos, logo que abriram as inscrições, já começamos a guardar dinheiro e ir atrás de alguns preparativos, como a festa que faremos para amigos e familiares depois da cerimônia — relata a noiva, que reside no bairro Tijuca e vive do comércio das massas que produz.

Católica, ela conta que com seu rendimento mensal e o do noivo, que é metalúrgico, não conseguiria arcar com as despesas de uma celebração individual, na igreja. Além da oficialização sem custos, no casamento comunitário o casal também pode se beneficiar de roupas e outros itens oferecidos gratuitamente pela organização, embora o vestido, Natiele já tenha garantido.

— Eu sou muito pequena e não sabia se teria algo para o meu tamanho. Acabei comprando antes, pela internet, depois de juntar dinheiro durante dois meses. O restante estamos vendo, agora, neste período de preparação. Terno parece que não tinha para o tamanho dele, então, vamos tentar buscar em algum brechó; no mês que vem teremos uma reunião, também. Para mim está sendo um sonho tudo isso, vai ser um novo ciclo, espero que fortaleça ainda mais a nossa união. Estou tão ansiosa que não sei nem se chego no dia do casamento — brinca a noiva.

 

Inscrições ainda abertas

Seguem abertas até o dia 28 de outubro as inscrições para casais com renda de até 3,5 salários mínimos, interessados na regularização jurídica e realização do sonho de celebrar sua união de forma gratuita, no casamento comunitário. O evento que chega à 15ª edição na cidade é uma ação conjunta da União de Associações de Bairros (UAB), prefeitura, Câmara de Vereadores, subsecção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Poder Judiciário, cartórios de Registro Civil, Sindicato dos Metalúrgicos e Universidade de Caxias do Sul (UCS). Desde que foi criada, em 2005, a ação já beneficiou mais de mil casais.

Para a inscrição é necessário que os noivos apresentem certidão de nascimento, documento de identidade, CPF, além de certidões de casamento e partilha (para o caso de divorciados) e de óbito do cônjuge (no caso de viúvos). Noivos e noivas com idades entre 16 e 18 anos precisam apresentar certidão de emancipação ou assinatura de habilitação pelos pais.

As inscrições podem ser feitas na sede da UAB, Subseção Caxias do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil, Câmara de Vereadores ou Sindicato dos Metalúrgicos, das 9h às 11h30min e das 13h30min às 16h30min. Nos cartórios, o atendimento é das 9h às 17h, confira os locais:

  • Cartórios de Registro Civil – 1ª Zona: Marechal Floriano, 220 – Pio X
  • Cartórios de Registro Civil – 2ª Zona: Os Dezoito do Forte, 1.236 – Centro
  • Galópolis: BR-116, 755
  • Criúva: sede do distrito
  • Ana Rech: BR-116, 15.999
  • Vila Seca: RST, 453 – km 164
  • Santa Lúcia do Piaí: Rosa Franciosi Giordani, 110

Segundo a organização, o evento comporta até 200 casais. Os mais de 50 que já confirmaram participação estão sendo contatados para a prova de roupas, que ocorre desde a semana passada na Associação de Moradores de Bairro (Amob) do Jardim América, entidade que tem como integrantes Rojane Fátima Isotton Branco e Salete Daros Cavion, do Departamento Feminino da UAB e estão à frente da organização do casamento.

 

COMO COLABORAR

O casamento comunitário empresta vestidos e ternos para noivas, noivos, madrinhas e padrinhos vestirem no dia da celebração. As peças são provenientes de doações, que ainda podem ser realizadas pela comunidade, sendo que a principal demanda é por vestidos de noiva.

O evento chegou a receber doações do Projeto Mão Amiga, da Coordenadoria da Mulher, Brechó da UAB e Associação de Clubes de Mães de Caxias do Sul (Acmcs). O Clube de Mães Guadalupe está colaborando com ajustes nas roupas e a Dena Fiori Arranjos e Decorações garantirá os buquês às noivas participantes. Além disso, outras parcerias também foram firmadas: para o fornecimento de flores de lapela dos noivos, com a Fabi Flores e Sonhos; maquiagem fornecida por uma representante local da Avon, com um grupo voluntário; e um “dia de noiva”, que será sorteado a duas inscritas, pelo Centro Estético Flávia Farina e Studio Rodrigo Gazzola.

— O cabelo das noivas, por exemplo, é algo que ainda estamos vendo como vamos fazer, que está em aberto — afirma Rojane.

Profissionais interessados em atuar voluntariamente na preparação dos participantes do casamento comunitário podem entrar em contato com Rojane pelo telefone (54) 99674-9023.

Fonte: Gáucha ZH