depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 25 bonus 25 bebas ip depo 10 bonus 15 slot bonus new member 100 rtp slot gacor hari ini daftar slot via dana situs judi bola resmi rtp slot live
SBOBET slot dana

Artigos sobre “Registro Civil das Pessoas Naturais e o mundo pós-pandemia: desafios tecnológicos” encerram o Conarci Acadêmico

Novas tecnologias, dinamismo, sociedade pós-pandemia, papel do registro civil na rede. Esses foram alguns pontos discutidos no último painel do Conarci Acadêmio, que ocorreu na manhã desta quinta-feira (13), em São Paulo.

A apresentação foi realizada pelo juiz Alberto Gentil e contou com dois trabalhos contemplados no painel “Registro Civil das Pessoas Naturais e o mundo pós-pandemia: desafios tecnológicos”.

O primeiro, “Uso das Assinaturas Eletrônicas no Registro Civil das Pessoas Naturais a partir da Lei 14.382/22” de autoria da registradora civil Karin Regina Rick Rosa, aborda a regulamentação das assinaturas eletrônicas para o registro civil a partir da pandemia de Covid-19.

A autora, por meio de videoconferência, enfatizou que a crise sanitária deu o impulso digital aos serviços prestados pelos cartórios de registro civil, trazendo modernidade e celeridade aos processos por meio da Lei de Registros Públicos. Ao final, a registradora explicou sobre as diferenças entre assinatura eletrônica simples, avançada e qualificada.

“Isso ampliou o acesso ao registro civil por meio das assinaturas, criou um grande sistema eletrônico que vai agregar os registros públicos. As pessoas poderão utilizar outras assinaturas, não só aquelas do ICP-Brasil”, disse.

Na sequência foi a vez da pesquisadora Julia Claudia Rodrigues Da Cunha Mota defender seu artigo científico, com o título “Os prazos do Registro Civil das Pessoas Naturais, após a Lei nº 14.382/2022”. Mota explicou que a Lei de Registros Públicos trouxe grandes avanços para o registro civil, no entanto é necessário discutir sobre os prazos que são apresentados na nova legislação.

A registradora civil apontou que a redação do artigo 9º da Lei nº 14.382/2022 gerou polêmica ao trazer três parágrafos sobre registros públicos, mas sem mencionar o registro civil propriamente. Também colocou novos prazos para a execução dos serviços registrais.

“Queremos dar celeridade e avançar para o mundo tecnológico através de um clique para um mundo muito mais ágil”, finalizou a autora.